____________"Profundo Amar"____________: Julho 2010

"Selos de Profundo Amar"

"Profundo Amar"

Os direitos autorais são protegidos pela lei de nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.
"Violar é crime estabelecida pelo artigo 184 do código penal"
(Caso queira uma cópia, solicite-a e mencione sempre sua autoria)


Conheçam Também:

Grato H²K

30 de jul de 2010

"Exaltar o Amor"



Um sentimento demasiado
Dever-se ia ser do amor doado

Não de lembranças turvas
Nem da saudade feito em curvas

O amor sim é quem deve ser exaltado
Ser escrito, grafado e na mente lembrado

O sentido mais belo, feito em elo
De dois amantes da vida e do amor singelo

Ao contrário de se exaltar a dor
Deveríamos contemplar o amor

Difamar ao que se tratar de saudade
E exaltar a toda amabilidade

Deflagrar o sentido obscuro
Dar ao coração sentimento profundo

Amar em profunda singeleza
Regado à sinceridade e a uma certeza

Que temos apenas uma vida a viver
Então que esta seja de amor e bem querer



28 de jul de 2010

"Seu Sorriso"



Acometido por este teu sorrir me pego a pensar

Será por ele que me deixara apaixonar?

Mas então faço em mente certa confusão

Pois seus olhos igualmente sorriem em perfeita fusão

E ao fechar dos olhos os lábios esboçam um tímido sorrir

De pensar em seus olhos e ver em seu sorriso a vida ressurgir

Será talvez mero devaneio?

Pergunto-me agora o que devo eu fazer

Açoitado pelo sentimento não sei como transparecer

Essa exaltação que carrego no peito

Que me acompanha junto ao leito

Que faz balburdias em minha cabeça

Não permitindo que tal sorriso esqueça

Quisera lhe falar em quais sonhos fez minha mente divagar

Em quantos alentos em minha mente vi a vida passar

Oh cúpido, amigo querido

Atinja por favor, a dona deste singelo sorriso

Mostre a ela que quando me olha sorrindo

É em minha alma que faço o sorriso retribuído




27 de jul de 2010

"À Espreita"



Observo-lhe passando
Espreitando e analisando

Vejo vidas obliquas
Vidas esquecidas

Onde você em sua maestria
As domina, as tem em doutrina

Vejo como as seduz
Tiram-nas da escuridão lhes dando luz

Vivo assim a espreita
Observando como aos corações atenta

Os provoca a baterem com mais firmeza
Cegam-nos da cicatrizes a fim de que não as veja
Desperceba simplesmente esqueça

Eu que já conheço seus dotes
Espero por sua visita a este pote
Pote de vida esperando a sina

De amar a cada instante
Do amor em seu turbante

Que se esconde e se deixa visto
Provoca e vem sem aviso


É senhor cúpido

Cá estou eu novamente lhe pedindo algum abrigo.

24 de jul de 2010

"Precipício"



Veio assim sem querer
Os olhos quiseram ver
Não acreditaram em principio
Mas sabiam, era o precipício

Pois, o corpo e a mente
Desejam o mergulho demente
Prender-me em seus abraços
Prender-me como se fosse em aço

O mergulho perfeito
Que ouvira a respeito
De destino sem volta
Do amor que conforta

A despeito do medo
Já não mais é tempo
Quero da vida vivida
Amor de amada querida

Quero das horas em claro
Sentimento este mais raro
Quero de cada despertar
Tenros beijos poder lhe dar

Desta vida nada mais nada menos
Somente ter você sem mais adendos
Quero viver agora nesta vida
Somente junto a ti minha querida


22 de jul de 2010

"Quem és tu?"



Quem és tu linda moça, que chega assim meio sem  hora
Moça do sorriso singelo e de olhar penetrante, estonteante
Rouba-me o pensamento e toda uma mente se transforma
Faz  novamente coração hora  calado agora em rompante


Menina moça de pele alva com seus cabelos esvoaçantes
Toma-me a visão, são seus meus olhos que só a seguem
Vagueiam em meio à multidão, buscam seus olhos latentes
E quando os encontra, nem sei como dizer eles se perdem


E agora distante me pego a somente em pensamento sutil
Lembrando seu rosto, e claro deste seu sorriso penetrante
Sou posto agora sem hora em escrita e coração agora viril


E pergunto sem alguma afronta, mas de duvida verdadeira
 Onde estavam os olhos que não notavam e só se via o ardil
Perdidos na angustia e agora tal angustia se fez derradeira



19 de jul de 2010

"Despertai"

Escrito a quatro mãos com Lívia Azzi do Blog Inquietude do Pensamento.
Se não conhecem, deveriam...




A inquietude da alma enfeitiçada que se põe em eterno sonhar
Feitiço inebriante que cega e nos faz julgar ser impossível amar
Somos e nos tornamos quem somente aspira por ilusões
E na vida quem apenas em sonho permite-se ás emoções

O feitiço que nos enlaça e faz de nós joguetes do destino
Quando a vida é feita do imprevisível ou mesmo desatino
Que o presente é o instante que vivemos
Não o presente que meramente sonhamos

A impossibilidade reside em nossas mentes
Fazendo-nos galgar por caminhos dementes
Enquanto a realidade nos assola fazendo-se gritar
Pedindo-nos que despertemos para viver e contemplar

O real se exibe à nossa frente, mas somos cegos da demência
O feitiço que inebria a mente cobre os olhos que pedem clemência
Pois conhecem a existência da vida
Só estão cegos por insistência de nossa lida

O céu quase sempre azulado cujo Sol se irradia
O luar que sempre nos presenteia ao findar de cada dia
São magníficas pinturas reais de vida e pura magia
As quais não enxergamos por sonharmos em demasia

Peço-lhe então, suplico se preciso for
Segure minha mão, deixemos de vagar pelo amor
Vivamos enfim o sentimento sonhado
Contemplemos assim o real e de sonhos só um punhado

Sou real, sou corpo e mente, seu possível porto
E se for para embriagar-me que seja em seu corpo
Se for para sonhar que seja dos seus beijos
Se for para me enfeitiçar que seja somente por desejos

Permita-se mergulhar junto a mim
Adentrar no sonho o amor sem fim
Viver do amor e do sonho lhe trazer enfim
Navegar no oceano da vida que está para você e para mim

Aceitemo-nos sem mais fantasias
Fazei de mim na vida nostalgia
Pois se temos que viver a vida
Que seja de amor em demasia

E que viver não seja apenas sonhar
Que a dor não nos oprima de amar
Se for para doer que doa por tentar
Não por viver de sonhos sem se arriscar




13 de jul de 2010

"Noite Fria"


Dedico este post à poetisa Mila dos blogs "Pensamentos de Mila" & "Doce Grafar"


Esta noite fria faz me pensar em demasia
No calor que quando junto estamos faz se a magia
Envoltos pelo calor de amor e paixão
Desta paixão que não se finda e aquece o coração

Este tintilar das gotas de chuva
Embalam-me em seu beijo e o corpo se curva
Somos agora o baralho completo
Com todas as cartas e de jogos repleto

Somos o amor em perfeição
Dois amores em união
O amor é feito assim
De duas almas enfim

O nosso tempo é apenas nosso
No ócio de lhe acarinhar, pois posso
Permito-me a contemplar vossa beleza
Em silêncio, mas com mãos em destreza

Os olhos se perdem lhe percorrem
Fecham-se quando os lábios se cobrem
A noite não mais se faz fria
Tornamo-nos amores em singela simetria


11 de jul de 2010

"Da cor do Mar"




Em teus olhos da cor do mar
Encontro enfim a essência de amar

Neste teu sorriso claro
Minha alma encontra amparo

Tanto tempo perdido
Tendo o amor bandido

Quando em pura verdade
Deveria dar olhos à beldade

Deste seu sorriso infinito
Fez canção a dor do grito

Em seus olhos azuis
Encontro enfim amor que seduz

Em seus braços encontro conforto
Em teu seio de amor agora desfruto




"Sou Verso"




Sou cálido e não perverso

Sou amor e não anverso


Sou o suor da busca predileta

A lágrima de amor e do poeta


Sou a esperança do sonho

A cura da dor que transponho


Sou sentimento descabido

Que salva o coração ferido

Sou as lembranças do outono

Trago-lhe alento a teu sono


Sou as flores da primavera

E não as provas do profeta

Quem vem a profetizar

Falando do tempo a findar


No inverno sou quente

Sou aconchego eloqüente

Faço-me prazeroso

No frio temeroso


E para o verão

Sou seu então

Sou tão somente amor

E dele tiro seu sabor


Não sou anverso

Fiz-me e faço-me em verso.



"Sou Amor"



Estou mais em ti
Do que esta em mim

Sou essência do amor
Que coloquei a seu dispor

Sou o bem querer
Que usou e fez estarrecer

Estou muito mais em você
Do que você esta em mim

Fui sentimento singelo
Amor que se fez em elo

Você se fez em dor
Para poluir este amor

Mas a dor se dissipa
Já o amor, ele fica

Quando o véu se partir
O amor é quem irá ressurgir.


9 de jul de 2010

"Admirando"




Fico em meu canto calado
Meus olhos buscam o encantado

Vislumbro ali distante
Uma beleza inquietante

Os olhos presos à leitura
De certo boa literatura

Mas não me refiro à leitura
E sim ao que o olhar vislumbra

Seus olhos se perdem nas palavras
Os meus se perdem em desventuras

Observo sua pele alva
E seu dedilhar que me acalma

Acaricia pelas pontas os cabelos
Quisera eu em meus dedos tê-los

A vida pode sim ser corrida
Mas de momentos assim que sinto a vida



"Amar"




Amar não deveria ser pestanejar
Amar não esta somente para se festejar

Amar é o bem querer
É ver amor nascer

É cultivar
E ve-lo brotar

Amar é sentir em profundo
É o sentido que se faz mudo

É apreciar
É vivenciar

Amar é viver
Contemplar
Se deixar levar

Tirar os pés do chão
Se deixar flutuar

E na densidade de se viver
Amar é a liberdade do ser

É o sobrevoar a relva
Sem precisar sair do chão

É amar
O amar com exatidão


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics